Redes Sociais

Marketing Digital | Por que investir em redes sociais?

A Web 2.0 invadiu as áreas de comunicação e TI de empresas privadas e instituições públicas. Políticos investem no Twitter, celebridades fazem de seus diários virtuais grandes sucessos, vídeos caseiros transformam-se em febre mundial, enfim, nunca foi tão fácil produzir e disponibilizar conteúdo na web.

Atenta às novas tendências de comunicação muitas empresas estão de olho no ambiente colaborativo das redes sociais e por isso passam a rever a sua comunicação com o consumidor. Segundo o IBOPE Nielsen Online, 85,6% dos internautas redes sociaisbrasileiros se conectaram a estas redes em março.

No Brasil, o acesso online não é mais um recurso das elites, tornou-se essencial para a maioria da população. O Brasil é o país que apresentou o maior crescimento nos últimos seis meses, quando tinha cerca de 35,5 milhões de usuários ativos em domicílios e trabalho. Hoje, com 37,9 milhões de usuário, o Brasil acumula crescimento de 7%. O alcance das redes sociais em março, segundo o NetView, foi de 85,6% dos internautas ativos no trabalho e residência. Essa é a maior penetração das redes sociais no mundo, bem acima da Itália, segunda colocada com 78,7% de alcance junto aos internautas. Apesar desse dado, são os italianos que ficam mais tempo conectados nas plataformas de redes sociais, com 7 horas e 10 minutos em média. O brasileiro ficou 5 horas e 2 minutos conectado numa rede social no mês de março.

Reação em cadeia - Dados do IBOPE Mídia indicam o poder de reação em cadeia das mídias sociais. Consumidores repercutem em redes sociais como Facebook e Twitter as impressões causadas pela vivência com um produto ou serviço, além de opiniões de assuntos variados. Há, contudo, empresas que se valem bem dessa mesma plataforma para levarem informações de interesse para o seu público.

Num levantamento recente com base na ferramenta Target Group Index, o IBOPE Mídia constatou que os usuários de redes sociais são pessoas mais comunicativas por natureza, que amplificam mensagens não somente nas próprias redes sociais, como também em seu dia-a-dia na vida offline. Os dados apontam que, para os usuários de redes sociais, as roupas são os temas mais comentados dentro e fora da rede. De acordo com o levantamento, esse público pode amplificar o tema roupas em até 66% no número de contatos que tem. Em segundo lugar, o tema alimentos é amplificado por eles em 60% do número de contatos, independente do canal. Já os celulares são amplificados em 56%, seguidos por vida saudável, com 53%, bem como eletroeletrônicos e higiene pessoal, ambos com 47% de potencial de mais contatos.